Ações Imprimir

 

Ouvindo as escolas sobre as contribuições do saber psicológico e seu cotidiano: estudo de levantamento nas escolas municipais da cidade de Sobral - CE.

Visita do grupo Maquinarias à Creche Dolores Lustosa em Sobral-CE. Fez parte de um conjunto de visitas feitas pelo grupo entre 2009 e 2010 para realização de um levantamento nas Escolas Municipais da cidade de Sobral acerca das “queixas escolares” dirigidas ao saber psicológico, empreendendo entrevistas com membros da comunidade escolar. O intuito de tal investigação foi reunir elementos que favorecessem a proposição de ações junto à comunidade escolar de Sobral, subsidiadas pelos conhecimentos produzidos na interface Psicologia e Educação.

 



Reunião de Planejamento Geral do Grupo Maquinarias.

Encontro do grupo realizado no Espaço Cultural Batente das Artes em Sobral-Ce no ano de 2010, espaço de associação de pesquisa e atividades teatrais que nos acolheu em vários momentos e que se tornou parceiro de nossas invencionices.  Esse encontro teve como tema a criação e concepção do site para divulgação das atividades e estudos realizados.

 

 



O que é  possível aprender inventando infâncias? [Participação em Jornada Pedagógica/Jan 2011 no Colégio Luciano Feijão].

As atividades propostas buscaram que o grupo de professoras experimentassem sob inspiração da poesia de Manoel de Barros  fugir às exatidões e aos sentidos pré-fixados relacionados ao que é aprender e ensinar.  A proposta era desaprender, tendo como guia questões como:. Como a gente desaprende algo? Como imputamos sentidos diferentes ao que já é habitual? Que situações escolheríamos para olhar diferente?

slides utilizados disponíveis aqui.

 


Oficina com as crianças -  Desmontando a famiília desestruturada. [Atividade em parceria com o estagio em psicologia escolar na Escola Municipal José Ermirio de Morais em Sobral - CE].

A oficina com as crianças foi realizada em parceria com a extensionista do grupo Tamylle Prestes (atualmente Psicóloga recém-formada da primeira turma da UFC- Campus Sobral) sob orientação da professora Ms.Érica Atem. A partir da letra da música “Só quero a mamãe” do Grupo Palavra Cantada, montamos um quebra-cabeça. A música remete a um modelo de família centrado na figura dos pais, ainda que cite outros personagens da família. O quebra-cabeça nos ajudou a desmontar esse modelo. Acreditávamos que desmontando a “família estruturada” criaríamos novos espaços para que outras famílias pudessem ser ditas. A atividade de desmontar implica tanto decompor elementos (Quem forma essa família? Que tipo de ligações existem? O que se diz sobre ela?) como  desarmar algo que parece fixo (Que outros tipos de família podem existir?).



Participação do grupo Maquinarias na oficina Brincando com as histórias, da artista Kika Farias realizada no dia 24 de Fevereiro de 2011 no Sesc – centro de Sobral-CE.

Kika Farias é atriz e brincante que canta cantigas de roda, toca e brinca ilustrando suas histórias. Ela  alinhava as histórias com elementos lúdicos e brinquedos populares,além de usar o corpo e a voz para desenhar bichos, lugares e situações. A oficina passeava por esses elementos e convidava os participantes a vivenciar as narrativas e a experiência de contação de histórias. Diante disso, experimentamos o brincar com as histórias e como essa atividade em movimento tanto do artista como do seu interlocutor (que podem ser gentes pequenas e grandes) podem ser produtoras de subjetividade e de sentidos diversos sobre  a vida.

 

 



Imagens do processo seletivo realizado no primeiro semestre do ano de 2011 para ingresso de novos extensionistas.

O Grupo Maquinarias, a fim de proporcionar um espaço de criação em que  as temáticas  da infância e da educação pudessem deslizar os quereres e a vontade de estar no grupo, pensou em um processo seletivo que potencializasse a maleabilidade dos processos. O objetivo era  ouvir e conversar com aqueles que queriam se achegar e que essas interlocuções costurassem nosso desejo de aumentar o grupo e seguir estudando e pesquisando essas temáticas.

 

 


Como desejamos olhar as crianças? [ Oficina realizada a convite da estagiária em psicologia escolar Carolina Leitão no Colégio Farias Brito na cidade de Sobral - CE].

Oficina em que foram desenvolvidas atividades com as professoras do Infantil e Fundamental I do Colégio Farias Brito, buscando criar diálogos entre os estudos da infância e a questão do 'bullying' dentro das escolas. A oficina teve por objetivo possibilitar outros olhares sobre as situações vividas entre as crianças  e entre as crianças e adultos e criançasno ambiente escolar e fora dele. Foi criado um diálogo sobre o 'bullying', sua aparição e as diversas significações feitas acerca do tema.


'Faz de conta que...' : Quando a infância faz arte. [ Oficina realizada no seminário Brinquedo e Brincadeiras no curso de Pedagogia da Universidade Estadual Vale do Acaraú a convite da Prof. Dr. Andrea Abreu Astigarrara].

A partir da narrativa por imagens (ilustrações), buscamos acionar nossa imaginação, experimentando não só com a linguagem escrita, mas também com a música, as imagens e produção de sentido compartilhados. A oficina foi desenvolvida de modo a proporcionar um momento para relembrar nossa capacidade de voar e transver o mundo a partir da troca de experiências. Buscamos criar um diálogo para nos permitir outras formas de pensar os temas brinquedos, brincadeiras e imaginação.


 


"Era uma vez...quer que eu conte outra vez?" [Oficinas realizadas nos cursos de Música e Odontologia da UFC – Sobral, como momento interventivo nas aulas de desenvolvimento ministradas pela professora mestre Érica Atem.]

Fizemos uma leitura dramática do texto de Sandra Mara Corazza, “Era uma vez... Quer que conte outra vez?”, com o auxílio de estandes de partitura, slides e instrumentos musicais para incrementar nossa dramatização. Assim como o texto, procuramos despertar reflexões a respeito da construção (ou invenção) da infância e como esta tem repercutido dentro de nossa cultura, para a partir de então, pensarmos continuações para essa história. Ao longo das conversas surgiram críticas a respeito do texto, lembranças de momentos e gostos do período infantil e argumentos de como educar crianças. Inclusive, pudemos escutar as vivências que as turmas tiveram com crianças dentro de suas atividades acadêmicas, rendendo boas discussões.

 

 

 


 

GRUPO DE ESTUDOS NO ESPAÇO DE REFERÊNCIA DO BRINCAR - BRINQUEDOTECA MUNICIPAL DE SOBRAL-CE

Em 2012 teve início a oferta de um grupo de estudos ofertado pelo Grupo Maquinarias para os educadores sociais, ou brinquedistas, que trabalham no Espaço de Referência do Brincar em Sobral. O grupo de estudos trabalhou temas de interesse dos brinquedistas e buscou fornecer novos modos de olhar a infância e de problematizar o trabalho dos mesmos e as formas de pensar o sujeito infantil naquele espaço e fora dele.

 

Bibliografia básica.